21
Abr 09

Excesso de recursos...

Bem, pelo menos é esta a minha opinião e passo a explicar ao que me refiro.

A quantidade não significa, na maior parte das vezes, qualidade e ontem reparei isso na TVI/TVI24.

Talvez pela falta de experiência ou pela vontade de querer impor-se o mais rápido possível nas audiências dos canais por cabo, a TVI/TVI24 move um excesso de recursos. tanto meios físicos como pessoais.

Em tempo de crise, é difícil perceber esta situação.

A SIC/SIC Notícias passa em simultâneo a informação matutina, 'Primeira Página'.

Quanto à TVI/TVI24, a situação não é a mesma. Há o dobro de recursos físicos e pessoais a esta hora. Algo que reparei em concreto foi a utilização do helicóptero do trânsito do canal apenas pela TVI. O canal cabo deu a informação pelo cabo apenas através das câmaras disponíveis nas estradas.

 

Corrijam-me se estiver errada, até porque pode ter sido simplesmente uma excepção... mas não sei, não...

 

publicado por dina às 13:23 | comentar | ver comentários (1) | favorito
16
Fev 09

'Jornal Nacional' mais dinâmico

José Carlos Castro junta-se à equipa de editores do ‘Jornal Nacional’, da TVI, substituindo no cargo Mário Jorge. "Esta é a única mudança de fundo. José Carlos Castro passa a ser editor juntamente comigo e com o Pedro Pinto. Mário Jorge vai chefiar a Sociedade, secção que serve os dois canais [TVI e TVI 24]", revelou ao CM Vítor Bandarra.

"O ‘Jornal Nacional’ mantém o estilo. Vamos tentar fazer o nosso melhor e imprimir mais dinâmica. Claro que isto depende mais dos meios humanos do que dos técnicos. O que se pretende é mais entusiasmo e dedicação", salienta José Carlos Castro, que já editava o noticiário aos fins-de-semana.

 

O jornalista frisa que as mudanças passam essencialmente pelo canal de notícias TVI 24, que arranca dia 26, na ZON TV Cabo. "Nós ficamos com o ‘Jornal Nacional’ da TVI, mas agora há mais editores e jornalistas, o que significa uma atenção triplicada, uma ajuda preciosa para o canal-mãe", salienta. "A simbiose que vai existir entre os dois canais notar-se-á sobretudo em termos de qualidade e de mais reactividade", explica ainda.

 

No canal TVI 24 vão surgir novas caras, como Maria João Figueiredo (ex-RTP). Também Paulo Bastos regressa à estação, depois de uma passagem pela SIC, onde trabalhou com Francisco Penim. "No canal--mãe vamos tentar usufruir desse novo fôlego e sangue novo. Os mais experientes e mais ‘velhos’ vão contribuir com a sua experiência. Esta é uma missão que em ambos os canais tem de ser bem-sucedida e bem gerida", diz José Carlos Castro.

 

Pedro Pinto mantém-se como pivô do ‘Jornal Nacional’ de segunda a quinta-feira, Manuela Moura Guedes assegura o ‘Jornal Nacional 6ª feira’. Aos fins-de-semana deverá continuar Júlio Magalhães.

 

Fonte: CM

publicado por dina às 13:50 | comentar | favorito
25
Nov 08

'JORNAL 2' passa a ter legendagem automática

A RTP iniciou a legendagem automática do Jornal 2, iniciativa que integra o projecto da RTP na área das Acessibilidades (página 884 do Teletexto).

O Jornal da Tarde e o Telejornal já dispõem deste serviço, que foi desenvolvido pelo Laboratório de Sistemas de Língua Falada do INESC-ID Lisboa em colaboração com a RTP. Baseia-se num Sistema de Reconhecimento Automático de Fala, o qual realiza a transcrição para texto do áudio produzido nos programas de televisão a partir de um vocabulário de cem mil palavras, actualizado diariamente com modelos de linguagem baseados em textos de carácter noticioso, anunciou o operador público.

Esta versão do sistema apresenta as legendas em duas linhas de tamanho duplo, fundo preto e colocadas no topo da página do Teletexto. A transcrição da fala é mostrada em cores diferentes para os oradores masculinos (branco) e para os oradores femininos (amarelo). Como o sistema produz erros de transcrição apenas são visualizadas legendas cujo grau de confiança do sistema de reconhecimento seja superior a 85%. As legendas ficam activas durante um intervalo de tempo correspondente à duração respectiva do áudio produzido. A legenda apresenta uma tentativa de pontuação, algo mais difícil para fala espontânea.

Com este novo serviço, "a RTP visa um contexto bastante mais alargado que inclui outros segmentos de público como os jovens (estímulo à leitura), as comunidades estrangeiras residentes em Portugal (aprendizagem do Português), as comunidades portuguesas residentes no estrangeiro e todos os falantes de português, assumindo-se como um elemento de promoção da língua portuguesa no mundo", conclui.
Fonte: Diário Digital
 
Opinião:
A aposta nestes serviços deveria ser feita em maior escala, especialmente no canal de serviço público. Falta, além das legendagens, pessoas que façam em simultâneo a 'tradução' para linguagem gestual  em mais programas.
publicado por dina às 16:09 | comentar | favorito