31
Ago 09

Guerra de audiências na TV

 

Colegas apresentadores e perito dos média antecipam como vai ser a disputa das tardes.

O trilho dos seus destinos teima em cruzar-se. Falamos de duas das apresentadoras nacionais mais consagradas: Fátima Lopes e Júlia Pinheiro. Em breve ambas vão disputar o mesmo horário. Adivinha-se um duelo de titãs.

"As tardes da Júlia", que ocupa a faixa horária vespertina da TVI, já há muito conquistou o estatuto indestronável de líder de audiências do pequeno ecrã nacional. "Fátima", por sua vez, programa residente das manhãs da SIC, veio a perder terreno no último ano, sobretudo após a saída da profissional que lhe emprestava o nome, em virtude da sua licença de parto. Recentemente, a estação de Carnaxide decidiu reestruturar a grelha de "day time" para a "rentrée" televisiva que se avizinha e eis que Fátima Lopes transitará para a tarde.

Aliás, será este o grande trunfo do director de Programas, Nuno Santos, para readquirir algum terreno. Ora, Júlia Pinheiro e Fátima Lopes vão digladiar-se pela fidelização do mesmo público. Será que a carta lançada pela SIC cumprirá esses intentos?

Para Rui Cádima, investigador na área dos média, "trata-se de um horário muito complexo, também pelas características dos espectadores: classes C/B; isto é, reformados, donas de casa e desempregados". Perante este público, "sui generis, na sua maioria pouco intelectualizado e a precisar de uma rápida descodificação do que é dito e feito", a tarefa "complica-se", diz. Considerando que Fátima Lopes é "uma boa solução em termos de prata da casa da SIC", para fazer frente a Júlia Pinheiro, descreve esta última como: "Animal televisivo de grande porte".

 

publicado por dina às 22:59 | comentar | favorito

‘Conta-me’ segue o pós-25 de Abril

A realizar-se uma nova fase de ‘Conta-me Como Foi’, o que foi dado como provável pelo director de Programas da RTP 1, José Fragoso, "a história incidirá sobre a fase do pós-25 de Abril e irá para o ar em 2011".
 

A quarta temporada da história protagonizada por Rita Blanco e Miguel Guilherme começa a ser exibida já a partir da rentrée e, a meio de 2010, a quinta. Outras novidades avançadas foram a "estreia, no final deste mês, de ‘Um Lugar Para Viver’ [com Isabel Figueira], e de duas novas séries em 2010, para além das novas temporadas de ‘Os Contemporâneos’, ‘Pai à Força’ e ‘Liberdade 21’".

As gravações da 4ª e da 5ª temporadas de ‘Conta-me Como Foi’, que culminam precisamente com a família ‘Lopes’ a tomar conhecimento da Revolução, já terminaram, reportam a um total de 48 episódios e serão, avançou Fragoso, "exibidas entre Setembro ou Outubro deste ano e o Verão de 2010".

"No caso de produzirmos a sexta temporada, os guiões serão feitos quase integralmente em Portugal porque, a partir do 25 de Abril, a nossa História divergiu muito da de Espanha", avançou José Fragoso sobre a série que é baseada no original espanhol ‘Cuenta-me como Pasó’.

Entretanto, "o cenário das ruas de ‘Conta-me’, que reproduz a realidade de 1960 até à década de 1970 em Portugal, e que foi construído no exterior do estúdio da Abrunheira, Sintra, será desmontado.

Se a série continuar, a família ‘Lopes’ irá morar para outro local", revelou Fragoso durante a despedida das gravações, que decorreu em Sintra. A festa, organizada pela produtora da série, SP Televisão, constou de um espectáculo apresentado por Isabel Wolmar, com artistas dos anos 60 e 70, como António Calvário e Simone de Oliveira.

 

Fonte: CM

 

publicado por dina às 22:49 | comentar | favorito
20
Jun 09

Até que ponto isto é serviço público???

Serviço Público é um conceito que, pelo menos em Portugal, ainda é um pouco confuso, contudo devo colocar aqui a pergunta: até que ponto transmitir o dia todo o mega-piquenique (pic-nic) Modelo é serviço público?

 

A RTP começou a transmitir por volta das dez da manhã a 'Festa de Verão', que consistiu em mostrar o que se passava no Parque da Belavista, Lisboa, durante esta reunião de portugueses felizes por demonstrarem a sua portugalidade. Entre algumas actividades e animação, houve tempo para a música, em especial para o cantor português do momento, Tony Carreira.

O objectivo era entrar no Guiness, o livro de recordes mundiais, como o maior piquenique organizado e ao que parece foi conseguido, com a presença de mais de 22 mil pessoas.

 

Houve um interregno, para transmitir o 'Jornal da Tarde' e depois o 'Top+', para por volta das 15h30 voltarem à carga, até ao final da tarde.

 

Sei que já fiz esta pergunta por diversas vezes e é triste estar constantemente a fazê-la, mas será que já não existe mais nada que a RTP possa transmitir numa tarde de sábado??? E realmente, este tipo de programa será considerado serviço público ou um valente convite a que as pessoas que não foram ao pic-nic, aproveitarem a praia ou simplesmente passearem por algum sítio que não o Parque da Belavista???

 

publicado por dina às 21:35 | comentar | favorito
27
Mai 09

Catarina põe o país a cantar

É já no início de Junho que Catarina Furtado regressa ao pequeno ecrã com um novo programa de entretenimento de grande formato na RTP. "Dá-me música" vai testar os dotes musicais das celebridades ao longo de 14 emissões, aos sábados, em horário nobre.
O novo espaço televisivo da eterna namoradinha de Portugal promete um verdadeiro duelo de titãs ao colocar frente-a-frente duas equipas de famosos, que terão de interpretar alguns dos temas que marcaram gerações e disputar testes de cultura musical, entre muitas outras actividades. Toda a gente vai cantar: os participantes, os convidados, a plateia... e até a apresentadora!
O primeiro programa, já gravado, está recheado de animação, com convidados especiais escolhidos a dedo. Rita Guerra chefia a Equipa A, brilhando ao lado de Inês Castel-Branco e Nuno Markl. Do lado oposto, Olavo Bilac conta com a preciosa ajuda de Diamantina e o animado José Carlos Malato. O maestro Nuno Feist dirige a banda residente e os cantores Débora Gonçalves, Sara Campina e David Ripado. A produção é assinada pela Endemol.
 

 

publicado por dina às 21:44 | comentar | favorito
29
Abr 09

Documentários a horas tardias...!

A nossa televisão (estou a referir-me aos canais portugueses em emissão aberta, com excepção da RTP2) dá pouca - ou quase nenhuma - relevância à transmissão de documentários, com especial incidência para o horário nobre.

Certo também é que já não é muito mau fazerem reportagens sobre determinados temas importantes e transmiti-los num horário decente.

Neste caso, refiro-me ao documentário 'Um assassino na faculdade' (original: «TRAGEDY AT VIRGINIA TECH»), que deu na RTP na segunda-feira perto das duas da manhã.

Sendo a RTP serviço público e este sendo um assunto que suscita tanta polémica como problemas sociais, teria sido aconselhável publicitá-lo e visualizá-lo depois do Telejornal ou mesmo depois do concurso 'Duelo Final'. Porém, sendo este dia o escolhido para o 'Prós e Contras', que tem uma duração de mais de duas horas e meias, a RTP poderia ter escolhido um outro dia e uma hora mais apropriada.

 

Eu estava a gostar de ver o documentário, mas acabei por adormecer e não o vi todo...

publicado por dina às 15:43 | comentar | favorito
26
Abr 09

Sócrates, TVI, RTP e o Freeport

Sabemos que falar hoje em Freeport e juntar-lhe o nome do nosso PM é um assunto polémico. Misturar-lhe a entrevista que deu à RTP e as acusações à TVI dá uma mistura explosiva.

 

Mas o Jornal Nacional da TVI, com a troca de acusações entre José Sócrates e a equipa de Queluz, toruxe consequências positivas: na sexta-feira passada, este espaço informativo foi visto por quase 1,4 milhões de telespectadores.

 

Relembro que José Sócrates afirmou: '"Aquilo não é um telejornal, é uma caça ao homem, é "um telejornal travestido", feito de "ódio e de perseguição' (fonte: DN).

 

E palavras irão puxar ainda mais palavras, o que irá dar motivo, com certeza, para mais opiniões aqui no blog.

 

publicado por dina às 21:41 | comentar | favorito

Tânia Ribas de Oliveira e João Baião façam uma pausa, por favor!

Durante a semana, a RTP transmite o 'Portugal no Coração' com a apresentação da dupla Tânia Ribas de Oliveira e João Baião. Quando há especiais para a manhã/tarde e o Jorge Gabriel não está disponível, eles são chamados.

 

Hoje, Domingo, a RTP fez um especial sobre a Festa da Flor, que começou a dar a partir das 11h30, fez pausa para a informação e para o 'Só visto', retomando por volta das 15h para terminar pouco antes das 19h.

 

É bom o canal público fazer estes especiais, pois aproxima a população da televisão e dos seus apresentadores. Contudo, acho que está a cair no exagero. Qualquer comemoração é motivo para a equipa se mudar de malas e bagagens... Por outro lado, o excesso de boa-disposição do João Baião e o carinho da Tânia já começam a ser insuportáveis. Por favor, dêem-lhes férias!!!

 

publicado por dina às 21:18 | comentar | favorito
24
Abr 09

RTP e SIC com especiais para 25 Abril

Um dos momentos históricos que mais marcou o país continua a não ser olvidado pelos vários canais em sinal aberto que, à excepção da TVI, vão assinalar a data com programação distinta fazendo ajustes nas suas grelhas.

A estação pública é aquela que mais relevo em antena concederá à efeméride.

A RTP2 antecipa a celebração por umas horas através de uma iniciativa inédita que se prende com uma maratona de documentários. Desta feita, após o “Jornal 2” de esta sexta-feira arranca uma emissão ininterrupta de 24 horas dedicada ao cinema documental português. Visionar cerca de 30 filmes que se entroncam “num género particularmente caro ao canal”, como salientou o seu director Jorge Wemans, é o repto lançado aos espectadores.  Nem todos são estreias. E “Dia D”, nome escolhido para intitular esta “overdose”, nas palavras do director, remete para documentário, não encerrando, portanto, uma conotação directa, a nível temático, com o 25 de Abril. Do leque da vasta oferta destacam-se “Visita guiada”, “O Adeus à Brisa”, “O Segredo”, ou “Homeostética 6=0”, cuja exibição é inédita, além de inaugurarem a proposta da RTP2 .  

Também o primeiro canal do Estado reservou para sábado programação subordinada ao aniversário da Revolução. Logo pelas 11 horas, a RTP1 transmitirá a sessão solene da Assembleia da República, aliás, extensível a todos os canais da RTP, com a intervenção de Cavaco Silva, além de todos os partidos com assento parlamentar.  

Às 17.15 horas está marcada a exibição do filme “Capitães de Abril” da autoria de Maria de Medeiros, e em horário nobre adivinha-se um grande espectáculo de pendor musical que visa celebrar a Liberdade.  

“Vozes que Abril Abriu” conta com a participação de nomes incontornáveis como os de José Mário Branco, Jorge Palma, João Gil & Shout, ou UHF, entre muitos outros. A condução do evento onde serão recriados temas de Abril está a cargo de Sílvia Alberto e Júlio Isidro.  

Por sua vez, a SIC promete, para esta sexta-feira, uma homenagem a 35 heróis anónimos, tantos quantos os anos que passaram desde a Revolução. Nesta operação que decorrerá entre as 10 e as 19 horas e cuja apresentação caberá a Rita Ferro Rodrigues vão actuar vultos da música nacional de que são exemplo Paulo de Carvalho, ou Paco Bandeira.  

No que toca ao cabo, este sábado, o Canal de História vai exibir o especial “25 de Abril, que integra”, entre as 15 e as 17 horas, os documentários "Crime continuado" com a participação de Mário Soares, Fernando Tordo e Francisco Pinto Balsemão, e em seguida "Franco e Salazar" o qual escrutina o perfil dos ditadores e analisa as semelhanças e diferenças entre o regime espanhol e o português.  

 

Fonte: JN

 

Ao que parece a TVI será o único canal portugês aberto que não fará qualquer referência a este facto, o que não sendo de estranhar, será em todo o caso, uma falha (na minha opinião).

A RTP porém aposta mais uma vez no filme 'Capitães de Abril', que desde que foi transmitido na tv, acho que ainda não faltou uma comemoração. Apesar de gostar do filme, acho que poderiam ter apostado noutras situações.

Esta é a perspectiva relativa à importância da data e reforçar a ideia de que o país não está muito diferente.

Por outro lado, entende-se que para muitos jovens (e se calhar mesmo adultos) esta é uma data sem muita relevância. Para uns não significa nada, para outros significa que pouco mudou...

 

publicado por dina às 12:22 | comentar | favorito