Recordando - 'Gabriela, cravo e canela'

A história das telenovelas em Portugal começou há trinta anos, com a transmissão de "Gabriela, Cravo e Canela". A RTP, que ao contrário dos outros canais nacionais, hoje transmite apenas duas novelas, foi o canal que deu o mote para esta enchente de novelas no nosso país.

                                                      

A televisão pública pôs no ar o primeiro episódio da telenovela baseada na obra de Jorge Amado, "Gabriela, cravo e canela" em 1977.

Esta novela apresenta-se hoje como o entretenimento por excelência daquela altura. O ano de estreia da novela apresentou uma mudança para os portuguesas. Pela primeira vez apareceu uma novela com a rua, a política, a cidade e o campo, tipos sociais, conflitos sociais, caracteres literários, humor, exteriores,, ricos e pobres, religião e crenças, liberdade e opressão, sabedoria popular e sabedoria burguesa...

 

O Portugal que via televisão parou para ver esta coisa nova que dava todos os dias à hora do jantar: o novo hábito ou ritual de ver a telenovela estabeleceu-se mais depressa do que qualquer outro nas últimas décadas. Quem não tinha televisão em casa juntava-se nos cafés ou tascas; e até as pessoas importantes, como os deputados - a Assembleia da República! -, interrompiam o trabalho pela nação (se é que eles trabalham efectivamente!) para se juntarem à multidão separada que assistia aos episódios entusiasmado.

A novela-mãe foi o que foi, porque as estórias e as subestórias, a magia e a realidade, a vida e o mundo, tudo estava na Gabriela, de Jorge Amado.  
 

A actriz brasileira Sónia Braga, que interpretou a inesquecível "Gabriela", papel que lhe trouxe grande visibilidade na televisão e no cinema, pode ser vista actualemte em "Páginas de Vida", na SIC. Havia-se mudado em 1985 para os Estados Unidos, sendo, actualmente, uma das personalidades mais conhecidas e requisitadas para trabalhar fora do seu país. 

publicado por dina às 19:39 | favorito