Doutor, preciso de ajuda... mental

A TVI estreou o ano passado um programa apelidado de "Doutor, preciso de ajuda", adaptando desta forma uma série norte-americana, que no nosso país é transmitido pelo canal por cabo People & Arts e que se intitula de Extreme Makeover, Mudança Radical.
A base do programa é igual: transformar pessoas feias, ou que se acham feias, em pessoas belas e esbeltas.
A televisão portuguesa planeia transmitir, já no segundo semestre deste ano, uma segunda edição do programa, que segundo consta já tem quase 30 mil pessoas interessadas em participar.
O programa, como todos nós sabemos, baseia-se em várias cirurgias plásticas para corrigir na maioria dos casos factores de envelhcimento e factores naturais.
 
Porém, depois do término da primeira temporada, por estes dias o bastonário da Ordem dos Médicos lançou críticas a este programa, afirmando ser  "uma enorme falta de gosto, uma vulgarização da medicina e uma tentativa de transformar o acto médico, não numa coisa séria, mas numa coisa comerciável" (declarações in Diário de Notícias).
 
 

O que é então a beleza interior?
Se este programa se incidir em situações em que as pessoas sofreram acidentes e ficaram lesadas ou que nasceram já com lesões físicas  e que não têm possibilidade de ir a um hospital, posso dizer até que concordo com o programa.
Agora, no caso do envelhecimento, é estúpido fazer operações plásticas. O envelhecimento vem mostrar apenas a nossa sabedoria, que já vivemos bastante tempo e que temos muito para ensinar aos mais novos. 

Podem dizer que estas mudanças alteram a auto-estima de uma pessoa. Mas se essa pessoa não se mentaliza que é ela própria que tem de se dar valor, não vai ser por ter um par de mamas maior ou um nariz mais bonito que isso vai mudar.

As pessoas bonitas também são descriminadas. As pessoas bonitas se nao tiverem o mínimo de inteligência e simpatia também ninguém quer saber delas...

 

publicado por dina às 21:07 | comentar | favorito