Nova lei da tv

Foi aprovada no final do mês de Março a nova Lei da Televisão, que determina que os operadores de TV ficam obrigados a avisar o público sobre as alterações de programação com pelo menos 48 horas de antecedência, salvo em casos excepcionais devidamente fundamentados. No seu ponto 3, a lei refere que tal alteração deve ser feita de "forma adequada", entendendo-se como tal o uso de todos os meios à disposição do canal, nomeadamente a própria antena e a Internet.
Mas esta aprovação não foi pacífica. A proposta governamental recebeu os votos a favor do PS, contra do PSD e CDS/PP e a abstenção do PCP, BE e "Os Verdes". 

Mas o mais importante era saber a opinião dos directores de programação dos canais nacionais e esses fizeram questão de a demonstrar publicamente.

 

Francisco Penim, Director de Programas da SIC (in Correio da TV, Correio da Manhã) disse: "Não acho que evite, mas inevitavelmente vai limitar." Nuno Santos e José Eduardo Moniz já tinham respondido ao assunto aquando do anúncio do projecto da nova lei da televisão. Na altura, o director de programas da RTP referiu: "Em princípio concordo com um prazo de 48 horas porque acredito que isso permite prestar um melhor serviço". Por seu turno, José Eduardo Moniz, director geral da TVI, criticou a nova medida. 

publicado por dina às 23:16 | comentar | favorito
tags: ,