Rússia causa polémica com a “Eurovisão"

 

A ideia que nós tínhamos de uma Europa unida no final dos anos 80 e no decorrer da década de 90 já era. É claro que estamos a falar no contexto televisivo, com os marcos dos 'Jogos sem Fronteiras' (que Portugal parava para ver) e o 'Festival da Canção'.

 

O Festival da Canção este ano vai realizar-se na Rússia e polémica é a palavra de ordem.

Ora vejamos:

1 - a Geórgia foi desclassificada, por alegadamente, possuir frases contra o governo Russo, e fazê-lo é infringir uma das regras da “Eurovisão”, a de as letras das músicas não poderem possuir mensagens de conteúdo político. A música era intitulada por “We don't wanna put in” (Nós não queremos Putin, segundo entenderam os russos). A Rússia considerou tal frase um ataque ao governo Russo, e agora, a Geórgia está fora do Festival;

2 - a Suécia corre o risco de ser boicotada, porque foi transmitida uma paródia musical - durante a final do concurso sueco - que não agradou aos russos. A paródia tinha os humoristas “Grotesco” como protagonistas, que vestiram-se de bonecas russas, mas estas tinham uma particularidade, estavam quase despidas. Conforme o Correio da Manhã, sobre o momento do programa, o embaixador da Rússia na Suécia, considerou o momento de “asqueroso”.
 

Ora, o que os russos vão alegar mais? Não estarão a sofrer do síndrome da perseguição ou algo do género? Não vivemos numa sociedade (pelo menos a ocidental), em que temos liberdade de nos expressar?

 

publicado por dina às 14:10 | favorito