Repórteres ficam reféns em favela

Vida de jornalista é difícil. Que o digam dois repórteres que faziam um trabalho sobre o dia-a-dia dos moradores da favela Paraisópolis, na zona Sul de São Paulo, supostamente ocupada pela polícia, que garantiria a segurança...

 

Foram sequestrados na segunda-feira e ficaram cerca de 40 minutos reféns de um grupo de homens armados. Identificando-se como traficantes de droga, os criminosos interrogaram e ameaçaram os dois reféns, mas não os agrediram fisicamente.

Os dois jornalistas, um repórter e uma fotógrafa, cujas identidades e órgão de Imprensa para onde trabalham não foram divulgados por questões de segurança, foram deixados pelos raptores num posto de gasolina da avenida Giovanni Gronchi, a mais importante do luxuoso bairro do Morumbi, onde a favela está incrustada. Os criminosos ficaram com o material de trabalho de ambos: gravador, máquinas fotográficas e outros objectos e recomendaram que estes não voltassem ao local.

 

Fonte: CM

 

 

publicado por dina às 20:08 | comentar | favorito